1 de Julho de 2002 – Morre o 2º Tenente Aviador Marcos Eduardo Coelho de Magalhães

Abatido pela artilharia alemã, o 2º Tenente Aviador Marcos Eduardo Coelho de Magalhães acabou se tornando comandante do hospital alemão em que estava, antes de ser regatado por tropas aliadas. 2º Tenente Aviador Marcos Eduardo Coelho de Magalhães 3

Marcos Eduardo Coelho de Magalhães nasceu no Rio de Janeiro em 02 de Agosto de 1922. Durante a Segunda Guerra Mundial, passou por Aguadulce e Suffolk junto de seus colegas onde embarcaram rumo à Itália em 19 de Setembro de 1944. Em Tarquínia, foi escalado para voar na Esquadrilha Verde onde executou 85 missões de guerra sendo atingido 16 vezes no decorrer de todas as missões. Na 16ª vez teve que abandonar o seu avião.

Com a chegada da Ofensiva da Primavera, em 22 de Abril, os pilotos do 1º Grupamento de Caça tinham que voar de duas a três missões diárias para que conseguissem cumprir a meta imposta pelo comando aliado. Esta sobrecarga era devido ao fato de não haver reposição dos aviadores aliados abatidos; A meta foi cumprida com a grande garra dos “Jambocks”. Neste primeiro dia desta nova ofensiva, Coelho estava escalado para cumprir sua segunda missão do dia juntamente com sua querida esquadrilha verde e sob o comando do Tenente Meira.

Acabou abatido durante a um ataque a um tanque de guerra por uma forte barragem de artilharia antiaérea de 20mm tendo que saltar sob o território inimigo. Enquanto estava no ar esperando o pouso de seu para-quedas, foi alvo de alguns disparos tendo, assim, caído sob um telhado machucando ambas as pernas. Foi levado pelos próprios alemães em uma maca para uma casa próxima que servia de posto alemão. Ficaram na casa por algum tempo e, durante sua passagem por lá, vieram dois oficiais fascistas para tentar executá-lo sumariamente sendo impedidos imediatamente pelo cabo alemão que comandava aqueles soldados.

Os dois oficiais, então, iniciaram um tática de convencimento tentando alegar que o brasileiro, na verdade, era um italiano e que deveria ser conduzido pelos mesmos. Coelho começou a argumentar provando sua real identidade brasileira, mas, mesmo assim, os italianos não desistiam e insistiam em levar o aviador. Após o cabo alemão se retirar para entrar em contato com seus superiores, os fascistas continuaram inventando histórias absurdas, o que tirou a paciência do brasileiro que proferiu um xingamento em português. Contudo, o palavrão que o mesmo proferiu soava igual em italiano o que fez com que o piloto fosse imediatamente agredido por um dos italianos. O alemão, ao ver aquela cena disparou um tiro contra o pé de um dos oficiais pondo na hora os dois fascistas em fuga daquela local e longe de seu prisioneiro.

2º Tenente Aviador Marcos Eduardo Coelho de Magalhães

Conduzido em comboio para o hospital de Reggio Emília pelo próprio alemão que o havia capturado, foi tratado naquele local pelo 1º Tenente Médico Dr. Lubben. Este, um excelente ortopedista, operou a fratura do brasileiro de tal forma que, ao retornar as linhas amigas, os médicos americanos nada mais tinham que fazer para sanar sua fratura além de por o gesso (que o brasileiro só não estava usando pois havia falta daquele material no hospital alemão). Ficou no Hospital de Sangue Alemão como prisioneiro por 4 dias até que, em 26 de Abril, o tenente médico acordou o aviador cedo e conversou com o mesmo passando assim o comando do hospital ao brasileiro e nele estariam 12 feridos graves que não poderiam ser transportados durante a retirada alemã. Três enfermeiros que haviam concordado em ficar, deram ao piloto da FAB uma pistola para garantir a segurança daqueles que ficariam no hospital e partiram junto aos alemães em sua retirada.

Coelho protegeu o hospital dos partisans apelando a Convenção de Genebra e que agora aqueles feridos eram seus prisioneiros. Caso fossem executados o mesmo atribuiria a responsabilidade do fato aos partisans italianos, fato este que acabaria em uma crise. Quando os americanos chegaram 4 dos feridos haviam falecidos devido aos seus ferimentos já graves e Coelho foi recolhido ao 38º Hospital de Evacuação em Bolonha para posteriormente ser alocado no Hospital Geral do 5º Exército em Livorno.

2º Tenente Aviador Marcos Eduardo Coelho de Magalhães 2

Faleceu em 1 de Julho de 2002.

 

 

 

 

 

 

Leave a Reply