23 de Fevereiro de 1945 – O Bombardeio a Pforzheim

Ficheiro:Bombardeamento de Pforzheim.jpg

Na noite de 23 de fevereiro de 1945, aproximadamente às 19h45min (horário local), as sirenes da cidade de Pforzheim ecoaram. Aviões aliados se aproximavam da cidade e o risco de bombardeio era eminente. A população já havia escutado a sirene antes, uma vez que a cidade tinha sido bombardeada em datas anteriores.

O primeiro, de uma série de bombardeios que a cidade de Pforzheim sofreu, ocorreu no ano de 1944, mais precisamente no dia primeiro de abril – e de Dia da Mentira não tinha nada, infelizmente. O ataque foi realizado pela USAAF e fez 95 vítimas fatais. Uma série de outras incursões foi realizada sobre a cidade, no entanto o ataque principal ainda não havia se concretizado.

De acordo com o “Bomber’s Baedeker” – um guia do Ministério da Economia de Guerra do Reino Unido para a importância econômica de vilas e cidades alemãs – Pforzheim se classificou na casa dos 50 dentre 101 lugares avaliados. Na cidade havia uma usina de laminação de tubos (Metallindustrie Richter), relojoarias que produziam componentes de rádio e radar para submarinos alemães, além de fábricas de ótica de periscópio.

Apesar de não abrigar nenhuma fábrica de munições “importantes” ou indústrias pesadas, Pforzheim foi considerada como um potencial local de esforços de guerra na produção de instrumentos de precisão e, por isto, se fazia necessária a “destruição de área urbana construída e instalações industriais adjacentes, além de instalações ferroviárias”. Então, o marechal do ar Arthur Harris estabeleceu o alvo na conferência do Comando de Bombardeios da RAF na base de High Wycombe, Inglaterra. Operation Yellowfin foi o codinome usado para o ataque aéreo em Pforzheim.

Eram aproximadamente 19h45min quando as sirenes de ataques aéreos uivaram pela cidade de Pforzheim. Trezentos e setenta e nove aviões da RAAF se aproximavam da cidade. Cinco minutos após, às 19h50min, a primeira bomba foi lançada. A esquadra britânica carregava ao todo 1550 toneladas de explosivos, sendo 730 kg delas explosivas e 820 kg de bombas incendiárias. As bombas foram despejadas a uma altura de 8.000 pés (2.400 m) e o resultado foi uma tempestade de fogo, uma das mais devastadoras da história militar.

No solo, pessoas tentavam de diversas formas de sobreviverem ao ataque. Muitas delas apostaram em pular nas águas dos rios Enz e Nagold, mas em alguns pontos a temperatura da água estava tão quente que as pessoas, mesmo na água, não conseguiram se safar. Neste caso, pessoas sofreram dois fatores: o afogamento (tendo em vista que mesmo sem saber nadar, no desespero, viram a água como salvação) e o escaldamento, devido à alta temperatura da água em certos pontos. Adicionam-se vítimas devido ao impacto imediato das bombas, inalação de gases tóxicos, falta de oxigênio, atingidos por paredes e tetos em colapso e objetos incendiados.

Todo o ataque durou 22 minutos, tendo sido finalizado às 20h12min. O resultado foi um total de 17.600 mortos, além de milhares de feridos e desaparecidos. De toda a arquitetura local, 80-83% foi destruída/desfigurada (equivalente a dois terços da área total de Pforzheim na época) e entre 80-100% do centro da cidade foi arrasado. Em termos de tamanho da população, a taxa de mortalidade em Pforzheim é maior do que qualquer outro ataque aéreo a uma cidade alemã na Segunda Guerra Mundial – sim, Dresden fica para trás.

pforzheim_ww2

379 aviões britânicos participaram do bombardeio de 23 de fevereiro de 1945 onde, em terríveis 22 minutos, destruiu 83 por cento da cidade, matando 17.600 habitantes e ferindo outros milhares. 

Dados do Departamento Estatal de Estatísticas (Statistisches Landesamt), a área da Praça do Mercado de Pforzheim (Pforzheim Marktplatz) abrigava 4.112 habitantes em 1939; após o ataque, nenhum habitante. Na área da Cidade Velha (Altstadtviertel), moravam 5.109 pessoas em 1939. Após o ataque, apenas duas. Na Leopold Square eram 4.416 habitantes em 1939; no pós-ataque eram somente 13 moradores.

Doze aviões da frota de bombardeiros da RAAF não retornaram às suas bases. Onze deles foram abatidos por combatentes da Luftwaffe, posicionados no que hoje é Sachsenheim. O outro foi atingido, supostamente, por bombas “amistosas”.

Resultado de imagem para O bombardeio a Pforzheim

1.500 toneladas de bombas destruíram Pforzheim em apenas 22 minutos

Após o ataque de fevereiro, outros bombardeios foram realizados na região. Nos dias 14, 16, 18, 19, 20 e 24 de março, ataques foram dirigidos a instalações ferroviárias. Nos dias 4 e 17 o foco foi na autoestrada da cidade, considerada importante na ligação e distribuição de tropas alemãs. No dia 23 de março o ataque concentrou-se no Vale de Eutingen.

A cidade foi capturada por forças francesas no dia 18 de abril de 1945, menos de dois meses após o ataque. Em julho, essas tropas foram substituídas por homens do exército dos EUA, que ajudaram a reconstruir algumas pontes afetadas tanto pelo bombardeio quanto pelo exército alemão, na tentativa de atrasar o avanço aliado.

A pequena Pforzheim é raramente lembrada, na Alemanha e no exterior.

Por Cristiano Brites

Fontes:

SWR – Südwestrundfunk

DW – Deutsche Welle

Welt

Wikipedia

Comments are closed.